Professor de jiu-jitsu suspeita de espancar e abusar sexualmente de enteado se apresenta à polícia

O professor de artes marciais Daryell Dickson Menezes Xavier, de 25 anos, suspeito de espancar e abusar sexualmente do enteado de 1 ano e 11 meses, se apresentou à polícia na noite desta terça-feira (1º). Ele era considerado foragido.

A delegada Tânia Dias Soares, chefe da 38ª Delegacia de Polícia (Vicente Pires), responsável pela investigação e onde o suspeito se apresentou, disse que o professor de  jiu-jitsu chegou à unidade acompanhado por advogados. Ele só prestará depoimento nesta quarta-feira (2) e vai passar a noite em uma cela no Departamento de Polícia Especializada (DPE), no Parque da Cidade.

Segundo Tânia Soares, Daryell  tornou-se o principal suspeito do crime depois de prestar depoimentos contraditórios e levantar suspeitas sobre a morte da criança. “Ele foi a última pessoa a ter contato com o menino, que foi levado ao Hospital Anchieta, quinta-feira (27). Apresentava convulsão e hematomas no corpo. A criança não resistiu e morreu dois dias depois”, disse.

Segundo a mãe da criança, Gabrielle Estrela, o padrasto permaneceu durante
todo o tempo de internação do menino ao lado da família, mas no dia do sepultamento, domingo (30) não compareceu ao Cemitério de Taguatinga, onde o enteado foi sepultado, o que agravou a suspeita.
A polícia pediu a prisão temporária do suspeito e ele estava foragido. Foram enfermeiros do hospital quem denunciaram o caso à polícia por causas das lesões apresentadas pela criança.

Indignada com a morte do filho, Gabriela utilizou o perfil no Facebook para desabafar e contar a história de como conheceu e confiou no suspeito de ter matado seu filho.

 

— Eu entreguei minha vida e a do meu filho para esse homem cuidar, eu acreditei no amor e na bondade dele, eu o apoiei, eu o amei, e aceitei seus defeitos sem saber que ele era algo muito pior, minha família inteira se encantou por ele, fomos acolhidos e acolhemos ele e seu filho.

Mais diante em seu texto de desabafo, Gabrielle narrou os momentos que passou ao lado do suspeito, quando o filho dela ainda estava internado no hospital.

— Daryell Dickson Menezes Xavier esteve do meu lado no leito do meu filho nos dois primeiros dias de internação me apoiando me dando forças, me encorajando junto à minha família, ele ajoelhou perante a cruz de cristo e pediu pela vida do meu filho, e meu filho.

A mãe do pequeno também descreve o que sentiu quando surgiu a suspeita de que o namorado havia matado o seu filho.

— Foi muito difícil pra mim acreditar que meu segundo amor havia matado meu primeiro amor! Havia me tirado a vida, me tirado a oportunidade de criar um homem, de sentir seu abraço de ouvir a sua voz me chamando, de me dizer “eu amo minha mamãe”, de sentir seu beijo, de sentir me acariciando os cabelos, de sentir seu cheiro, havia machucado meu neném.

Gabrielle desabafou no Facebook após a morte do filho Reprodução / Facebook

Gabrielle desabafou no Facebook após a morte do filho
Reprodução / Facebook

No final do desabafo, ela pede justiça e acusa novamente o ex-companheiro pela morte da criança.

— Eu só peço por justiça, para que não exista mais vítimas nessa historia, encontrem esse demônio! Daryell Dickson Menezes Xavier assassinou meu pequeno Miguel Estrêla Massena. Nada ameniza minha dor, mas eu clamo por justiça humana!

Daryell dava aula de jiu-jitsu para crianças em uma academia em Taguatinga. Um laudo do Instituto Médico Legal (IML) indicou que a criança sofreu uma pancada contundente causada por uma possível agressão e que não caiu da própria altura.

De acordo com a delegada Tânia Soares, há indícios de que um golpe teria sido aplicado contra a criança. Ela disse que pela descrição do laudo não foi um tombinho que causou o traumatismo craniano. “Como o padrasto estava sozinho com a criança, prestou depoimento contraditório e tudo indica que ele pode ter feito alguma coisa”, disse.

Os indícios de estupro surgiram com o registro de fissura anal na criança. Não se sabe ainda, porém, se a fissura possui origem interna (problemas de intestino) ou externa (abuso sexual). O resultado do laudo técnico que revela a causa da fissura sairá em no mínimo 15 dias.

Deixe o seu comentário

*